A acurácia do exame, assim como sua segurança, depende de um preparo bem feito1

O preparo ideal é rápido e necessita que o cólon esteja limpo, sem qualquer resíduo fecal; deve ser também seguro para o paciente, preferencialmente sem causar desconforto, com poucas cólicas, náuseas ou vômitos, além de apresentar pequena incidência de desidratação e desequilíbrio eletrolítico1. Inicialmente, o preparo do cólon envolvia dietas bastante restritivas, além do uso de catárticos e enemas. Em geral, tais métodos eram bastante demorados (48 a 72 horas), normalmente associados a quadro de desidratação e desequilíbrio hidroeletrolítico1. Atualmente, dispõe-se de métodos mais eficazes, rápidos e seguros.

Manitol: ainda é o mais utilizado no preparo, em razão do preço. Normalmente, é administrado com laxantes estimulantes como bisacodil. Uma complicação do seu uso está relacionada à fermentação bacteriana excessiva, ocasionando grande produção de metano e hidrogênio, que podem provocar explosão do cólon caso se utilize o eletrocautério. Contudo, tal complicação é rara1,2 e nunca descrita na literatura nacional.

Polietilenoglicol (PEG): consiste em uma solução não absorvível usada em grandes volumes (quatro litros) para atingir seu efeito catártico. Trabalhos internacionais mostram maior grau de segurança e mais eficácia de PEG quando comparado a manitol. Entretanto, 5% a 15% dos pacientes não toleram esse preparo em razão de seu paladar ou do grande volume de medicamento necessário1.

Manitol: ainda é o mais utilizado no preparo, em razão do preço. Normalmente, é administrado com laxantes estimulantes como bisacodil. Uma complicação do seu uso está relacionada à fermentação bacteriana excessiva, ocasionando grande produção de metano e hidrogênio, que podem provocar explosão do cólon caso se utilize o eletrocautério. Contudo, tal complicação é rara1,2 e nunca descrita na literatura nacional.

Referências bibliográficas: 1. Wexner SD, Beck DE, Baron TH, Fanelli RD, Hyman N, Shen B, et al. A consensus document on bowel preparation before colonoscopy: prepared by a task force from the American Society of Colon and Rectal Surgeons (ASCRS), the American Society for Gastrointestinal Endoscopy (ASGE), and the Society of American Gastrointestinal and Endoscopic Surgeons (SAGES). Gastrointest Endosc. 2006;63(7):894-909. 2. Sweetser S, Baron TH. Optimizing bowel cleansing for colonoscopy. Mayo Clin Proc. 2015;90(4):520-6. 3. Rotondano G, Rispo A, Bottiglieri ME, De Luca L, Lamanda R, Orsini L, et al. Quality of bowel cleansing in hospitalized patients undergoing colonoscopy: a multicentre prospective regional study. Dig Liver Dis. 2015;47(8):669-74.

Categorias: Gastroclinic

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comunicado:
Para saber mais sobre os procedimentos de precaução e recomendações clique aqui.

WhatsApp
Covid-19Para saber sobre os procedimentos, clique aqui.